Segunda-feira, 17 de Maio de 2010

AD Vagos campeão nacional com mérito...

 

FESTA VAGOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não foi preciso recorrer ao quinto jogo...

Sabendo lidar melhor com a pressão e controlando a ansiedade com mais facilidade que o adversário, a AD Vagos conquistou este domingo (58-50), em Coimbra, o seu primeiro título de campeã nacional feminina. Em vantagem na série (2-1) as vaguenses encararam o jogo 4 da final do play-off com mais tranquilidade que as suas opositoras (Olivais), que ostentavam o ceptro nacional há duas épocas consecutivas.


A equipa de José Araújo não entrou na partida da forma que havia feito na véspera (jogo 3) e disso se aproveitou o Vagos que fez o seu papel, sem contemplações. Ganhando sistematicamente as bolas divididas, as pupilas de Nuno Ferreira mostraram desde o apito inicial que estavam ali para ganhar, pondo em cada lance muita entrega e determinação.

Todavia o Olivais conseguiu no 2º período (15-9) melhorar a sua eficácia de lançamento e aliado a uma defesa pressionante obrigando o adversário a cometer bastantes erros (4-11 turnovers), chegou ao intervalo na frente (25-22), disfarçando a pálida prestação dos 10 minutos iniciais (10-13), em termos ofensivos. No jogo interior a poste Clarissa Santos, marcada ora por Danyel Crutcher ora por Sofia Carolina, resolvia a maioria das situações, ainda que esta última tenha sido importante na captura de alguns ressaltos ofensivos (6) que dava à turma do Olivais mais posses de bola ao intervalo (40 contra 36).

No reatamento o colectivo de Nuno Ferreira conseguiu um parcial de 0-8, com dois triplos consecutivos, de Inês Faustino (minuto 22) e de Mariana Alves (minuto 23), completados por uma falta provocada pela jovem Inês Faustino, que ao não tremer da linha de lance livre, virou o resultado (25-30). Valeu ao Olivais nessa fase de menor acerto, o inconformismo de Ana Fonseca e Danyel Crutcher que conseguiram várias situações de igualdade (30-30, 32-32 e 34-34), mas um triplo de Izabela Moraes, seguido de mais dois lances livres convertidos pela extremo brasileira, voltou a dar vantagem ao Vagos, que se cifrava em 6 pontos no final do 3º período (38-44), com segunda bomba de Inês Faustino, do meio da rua.

A 5ª falta de Inês Faustino no minuto 33 (aos 38-46), depois de ela própria ter fechado a sua conta pessoal através de uma penetração concluída com êxito no minuto inicial do último quarto, não abalou a organização vaguense, com Joana Lopes a acertar o seu 2º triplo (39-49) e depois a aproveitar da melhor maneira algumas facilidades defensivas por parte das olivanenses, com duas bandejas que colocaram a sua equipa a coberto de alguma reacção adversária, fazendo 44-53 (minuto 37) e 48-55, com 45 segundos para jogar. Dois descontos de tempo consecutivos pedidos pelo treinador do Vagos, a 29 e 25 segundos do termo, quando o Olivais tentava o tudo por tudo, transmitiram a serenidade necessária às suas jogadoras para carimbarem uma vitória justa (50-58). Estava consumado o 1º título nacional feminino para as cores da colectividade vaguense.

Nas vencedoras, voltou a destacar-se a polivalente Joana Lopes (14 pontos, 2/4 nos triplos, 7 ressaltos defensivos, uma assistência e 2 roubos), com cestos em momentos cruciais, seguida por Inês Faustino (12 pontos, 2/3 nos triplos, 2 ressaltos defensivos, uma assistência e 1 roubo) e Clarissa Santos, com novo duplo-duplo (16 pontos, 10 ressaltos sendo 3 ofensivos e uma assistência, com o senão de ter feito 7 turnovers). Izabela Moraes (9 pontos, 1 triplo, 5 ressaltos defensivos e 1 desarme de lançamento) e a operária Mariana Alves (1 triplo, 7 ressaltos sendo 3 ofensivos, 3 assistências e 1 roubo) também tiveram contributo positivo.

No Olivais, destaque para a MVP do encontro, Danyel Crutcher (10 pontos, 8 ressaltos sendo 6 ofensivos, 2 roubos e 1 desarme de lançamento), bem acompanhada por Ana Fonseca (10 pontos, 1 triplo, 2 ressaltos defensivos, uma assistência e 4 roubos) e Sofia Carolina (4 pontos e 14 ressaltos sendo 7 ofensivos). Jhasmin Player, a despeito de ter sido a melhor marcadora da equipa (16 pontos) e de ter ganho 6 ressaltos sendo 2 ofensivos e distribuído duas assistências, viu a sua valorização ser bastante penalizada por ter cometido 7 turnovers, mais de metade da marca atingida pela equipa (12), enquanto a base Michelle Brandão não conseguiu ter a mesma influência da véspera, acusando demasiado a pressão na hora de lançar ao cesto.

Em termos globais, o êxito da AD Vagos assentou na melhor eficácia de lançamento, tanto nos duplos (37%-45%) como nos triplos (7%-43%), com as suas atiradoras do perímetro a converter 6 triplos em 14 tentativas, enquanto as olivanenses estiveram desastradas nesse capítulo, acertando apenas 1 em 14 tentados. De nada valeu ao Olivais a superioridade nas tabelas (36-32 ressaltos), mormente na tabela ofensiva (16-6 ressaltos), o que lhe garantiu mais posses de bola (82 contra 74), mas com o coeficiente de eficácia ofensiva (0,61 contra 0,78) a ser demasiado penalizador para o seu objectivo. Tal como o facto de ter cometido menos erros (12-21 turnovers) também foi anulado pela fraca eficácia revelada (30% nos lançamentos de campo e 58% da linha de lance livre, onde desperdiçou 11 das 26 tentativas de que dispôs), enquanto as vaguenses foram bem mais certeiras (75%, com 12 lances livres convertidos em 16 tentados).

Resultado final (jogo 4): Olivais 50-58 AD Vagos
 
Fonte:www.fpb.pt
 
Saudações Infernais

 


publicado por ultrasinfernais às 14:40
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Maio de 2010

Jogo de Vida ou Morte...

A Direcção dos Ultras Infernais vem por este meio informar a todos os elementos da claque que o jogo Vagos vs SL Benfica, vai-se realizar esta Sexta-feira dia 07 de Maio pelas 21:00 horas no Pavilhão Municipal de Vagos.

 

 

 

Vamos todos apoiar o nosso grande Vagos.

 

Tu és FUNDAMENTAL...

 

 

O nosso Lema Lema diz,

um por todos, todos por um,

Força Vagos Allez Allez

Força Vagos Allez Allez

 

       
JOGO        07-05-2010
 
Pavilhão Municipal de Vagos
Visitado     Visitante

Data

Hora

 
ADVAGOS  - - SL Benfica 07-05 21:00

  

 

DEMASIADOS FIÉIS PARA DESISTIR...

 

Saudações Infernais


publicado por ultrasinfernais às 16:29
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 30 de Abril de 2010

John Smith eleito MVP da Fase Regular da Liga...

 
Ao cabo das 22 jornadas da fase regular do campeonato da Liga Portuguesa de Basquetebol, é tempo para, tal como fizemos em cada jornada, eleger MVP Global e nacional, bem como o cinco ideal da temporada. Curiosamente, foram dois os jogadores em maior destaque, Rod Nealy e John Smith, ambos com 26.7 de valorização. Já nos jogadores portugueses, Sérgio Ramos foi quem se destacou mais, com 21.7 de valorização.


MVP´s da fase regular

MVP Global – Rod Nealy, Vitória Sport Clube e John Smith, Vagos Norbain Lusavouga, 26.7 de valorização

Seriam poucas as probabilidades de uma situação destas vir a acontecer, após tantos minutos jogados ao longo de toda a época. Avaliando individualmente cada um dos premiados, poder-se-á dizer que Rod Nealy – 17.6 pontos, 10.5 ressaltos, 3.8 assistências e 1.3 roubos de bola - se trata de um extremo-poste capaz de jogar em várias posições do campo, fruto da sua enorme versatilidade. Não sendo pesado, Nealy consegue jogar de costas para o cesto socorrendo-se da sua excelente técnica individual e bom trabalho de pés. Será, no entanto, mais forte partindo em drible de posições exteriores, para depois sim, ganhar com maior facilidade vantagens interiores por se tratar de um jogador extremamente móvel. O tempo de salto é uma das suas principais armas ofensivas e defensivas (intimidador), através da conquista de ressaltos, muitos deles recolhendo o seu próprio lançamento para transformar em segundos lançamentos fáceis. Para se tornar num jogador de eleição teria que melhorar o tiro exterior, o desempenho defensivo e ser mais forte mentalmente.

Já o poste norte-americano John Smith – 18.3 pontos, 9.9 ressaltos, 1.9 assistências, 1.4 roubos de bola e 1.9 desarmes de lançamento - é um típico produto do trabalho, persistência e muita dedicação. Aquilo que lhe falta em técnica compensa pela forma aplicada com que se entrega, aproveitando todas as pequenas coisas que o jogo lhe oferece. Apesar de ser muito forte fisicamente, nota-se que ainda é jovem, pois nem sempre sabe tirar partido das vantagens de que dispõe, chegando a fugir ao contacto nas áreas mais próximas do cesto. Aquilo que não consegue fazer de costas para o cesto, compensa pela forma inteligente como lê os bloqueios para os explorar debaixo do cesto. Lutador incansável, nunca dá uma bola como perdida, tal aliás sucede na discussão de todos os ressaltos. Se conseguir ser mais consistente no tiro de curta e média distância, e se dedicar a algum trabalho específico de poste, revelar-se-á num atleta ainda mais interessante.

MVP Nacional da Fase Regular – Sérgio Ramos, Sport Lisboa e Benfica, 21.7 de valorização

Nem mesmo a mudança de posição já com a temporada a decorrer, motivada pelos ajustes necessários no plantel motivados, pela troca de estrangeiro, fizeram com que Sérgio Ramos – 18.5 pontos, 6.1 ressaltos, 2.2 assistências e 1.1 roubo de bola - perdesse fulgor ou eficácia. Eficiência é de facto um dos pontos fortes de Sérgio como jogador, no fundo o resultado de muitos anos de trabalho e experiência ao mais alto nível onde isso lhe era constantemente exigido o que, a somar à sua grande cultura táctica e inteligência com que lê o jogo, ainda fazem dele um atleta complicado de defender, mesmo agora que a velocidade de execução já não é a mesma. É este conjunto de características que lhe permite jogar em várias posições no campo, mantendo sempre um bom rendimento.

5 IDEAL

Posição 1: Karlton Mims, Vitória Sport Clube, 17 de valorização

O base da equipa de Guimarães demorou algum tempo a readquirir as rotinas de 1º base, mas acabou por revelar-se uma excelente opção para a função que tinha de desempenhar. Mims – 15.7 pontos, 3.7 ressaltos, 4.2 assistências e 1.9 roubos de bola - sem ser um habitual organizador de jogo, a boa técnica individual e o domínio de bola acima da média, acaba por criar enormes desequilíbrios nas defesas adversárias. Para além de ter um razoável tiro exterior, sabe explorar os bloqueios directos na bola e quando penetra na direcção do cesto tira sempre vantagem da sua estatura relativamente aos bases contrários. O facto de ser um atleta alto para a posição que ocupa possibilita que a equipa interprete várias opções defensivas ou match up pouco vulgares, desempenhando simultaneamente um papel activo na luta das tabelas.

Posição 2: Brandon Dagans, Casino Ginásio, 21.3 de valorização

A aposta feita em Brandon Dagans – 22.6 pontos, 4.6 ressaltos, 2.9 assistências e 2.1 roubos de bola –, por parte da equipa da Figueira da Foz para reforçar o seu jogo exterior, correspondeu às expectativas nele depositadas. Começou por alternar com José Costa o papel de 1º base, mas cedo se percebeu que era um atleta mais talhado para marcar pontos do que propriamente para colocar os companheiros a jogar. E quando dizemos marcador de pontos, referimo-nos ao melhor marcador da fase regular – 22.6 pontos de média – embora nem sempre com grandes percentagens e ponderação desejadas nas suas opções de lançamento. Mas é inquestionável a aptidão natural que Dagans tem para encontrar sempre o caminho do cesto. Grande facilidade de lançamento, quer no tiro exterior como após paragem quando em penetração para o cesto, gesto pouco visto, de elevado grau de execução e difícil de contrariar do ponto de vista defensivo. É rápido a penetrar e sem receios de ir deixar a bola bem perto do cesto. As dificuldades foram evidentes na parte defensiva, em parte pela sua baixa estatura, mas que tentava compensar através das suas mãos muito activas, que lhe permitia roubar bolas.

Posição 3: Sérgio Ramos, Sport Lisboa e Benfica, 21.7 de valorização

É o MVP nacional da fase regular e podia perfeitamente trocar de posição com Nealy num cinco com estas características. A versatilidade de Ramos e Nealy deixaria qualquer técnico satisfeito, pelo leque de combinações e opções que permitiria implementar, permitindo inclusivamente que a própria estratégia delineada fosse alterada durante o jogo ou escolhida em função da forma como cada um deles fosse defendido.

Posição 4: Rod Nealy, Vitória Sport Clube, 26.7 de valorização

É o MVP Global da fase regular da Liga Portuguesa de Basquetebol

Posição 5: John Smith, Vagos Norbain Lusavouga, 26.7 de valorização

A dupla interior do cinco ideal da primeira fase da prova partilha o prémio de MVP.

fonte:www.fpb.pt
Saudações Infernais

publicado por ultrasinfernais às 11:15
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Abril de 2010

Ultras Infernais em entrevista no DesportoAveiro...

 

Para ler a entrevista clique no link abaixo...

  

http://desportoaveiro.blogs.sapo.pt/2760199.html

 

 

Saudações Infernais

 


publicado por ultrasinfernais às 14:39
link do post | comentar | favorito
|

Vagos carimba presença no playoff ...

Ao vencer em casa a equipa da Académica (73-60), o Vagos conquistou o último lugar de acesso à fase seguinte da competição. Os comandados de Renato Soares cumpriram com a sua parte, tendo sido depois bafejados pela sorte dos restantes resultados, que acabariam por ser favoráveis aos seus interesses.

Num encontro frente a uma Académica que embora já apurada para o playoff, tinha a sobre si a pressão de ter que defender o 5º lugar, a formação de Vagos entrou na partida (27-16) determinada a não falhar o seu objectivo. O intervalo chegou com os vaguenses na frente do marcador (37-24), e por uma vantagem que foi exemplarmente gerida nos segundos 20 minutos do encontro.

O mau desempenho dos conimbricenses no capítulo do lançamento – 36% de 2 pontos e 39% de 3 pontos – que não era compensado na luta das tabelas (30/39), beneficiou a equipa que seguia na frente do marcador, que sem ter estado bem nos lançamentos longos (4/22 – 18%) fez a diferença pelo bom desempenho nos lançamentos de 2 pontos (58%) e da linha de lance-livre (81%).

O norte-americano John Smith (29 pontos, 12 ressaltos, 7 desarmes de lançamento) esteve inspirado nos dois lados do campo, com a experiência de Nuno Perdigão (17 pontos, 9 faltas provocadas, 7 ressaltos, 4 assistências e 2 roubos de bola) a revelar-se nos momentos de maior pressão.

O MVP da jornada anterior Manuel Johnson (12 pontos, 12 ressaltos, 3 roubos de bola, 2 assistências e 2 desarmes de lançamento) voltou a ser o melhor elemento da equipa de Coimbra.

 

fonte:www.fpb.pt

 

Saudações Infernais


publicado por ultrasinfernais às 14:31
link do post | comentar | favorito
|

.Musica dos Ultras Infernais


Allez Vagos allez nós somos a tua voz.wav -

.Infernais

Counter Stats

MySpace Comments

.Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. AD Vagos campeão nacional...

. Jogo de Vida ou Morte...

. John Smith eleito MVP da ...

. Ultras Infernais em entre...

. Vagos carimba presença no...

.arquivos

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds